11 de set de 2009

Fotos do encontro de 07/09/2009

Juventude presente para assistir o filme "Passageiros":


6 de set de 2009

Penetração e influência oculta sobre os nossos pensamentos pelos Espíritos.

Para que compreendamos melhor o assunto, seria interessante falarmos
rapidamente do pensamento e de sua propagação.

O universo possui dois elementos gerais: A matéria e o Espírito.
Este último, também conhecido como Princípio Inteligente, possui como
um de seus atributos o que chamamos de pensamento.

Toda a criação vive mergulhada no que chamamos de Fluido Cósmico
Universal. Este fluido é o que da origem a matéria em seus diversos estados,
mesmo naqueles ainda desconhecidos para nós.Costumo utilizar uma
comparação vulgar para entendermos melhor: quando estudamos
conjuntos no segundo grau, certamente já nos deparamos com o estudo do
conjunto Universo. Neste conjunto, abrigam-se todos os elementos
considerados em certo assunto. Por exemplo, se quisermos saber o
conjunto universo dos dias da semana, seus elementos seriam os
sete dias da semana. Até aqui pode parece-nos óbvio, mas é assim mesmo.
A complexidade do Universo também pode ser compreendida e
admirada através da simplicidade!

Bem, voltando à questão, se consideramos o Fluido Cósmico como
sendo o conjunto Universo de tudo o que é e o que pode vir a ser,
teremos infinitas possibilidades de expressão do Princípio Inteligente.

Não é à toa portanto, que os Espíritos nos ensinam que Deus é a causa
primeira de todas as coisas.

Do que foi dito até aqui, pode-se depreender então que a criação
é o pensamento atuante de Deus. Ora, se Jesus nos ensina que
“somos Deuses”, então poderíamos dizer que somos Co-criadores.
Afinal de contas, somos Seus filhos, criados de Sua essência.

Mas se Deus cria por Sua vontade, fica claro que a vontade é o
fator chave para a impulsão dos pensamentos. E é ai que chegamos
ao ponto de nosso assunto, pois que, se através da vontade podemos
dirigir nossos pensamentos no intuito de influenciar os outros quando
encarnados, por que não quando desencarnados ? E é justamente isso
que acontece, como constata Allan Kardec, em seus estudos junto
aos Espíritos Superiores:

"O Espiritismo nos ensina que os Espíritos constituem a população invisível
do globo, que estão no espaço e entre nós, nos vendo e nos acotovelando
sem cessar, de tal sorte que, quando nos acreditamos sós, temos
constantemente testemunhas secretas de nossas ações e de
nossos pensamentos.
Isto pode parecer incômodo para certas pessoas,
mas uma vez que assim é, não se pode impedir que o seja; cabe a cada um
fazer como o sábio que não tinha medo de que sua casa fosse de vidro.
Sem dúvida nenhuma, é a esta causa que é preciso atribuir a
revelação de tantas torpezas e más ações que se cria enterradas
na sombra.
"


"Segundo os pensamentos que dominam num encarnado, ele
irradia raios impregnados desses mesmos pensamentos
que os
viciam ou os saneiam, fluidos realmente materiais, embora impalpáveis,
invisíveis para os olhos do corpo, mas perceptíveis para os sentidos
perispirituais, e visíveis para os olhos da alma, uma vez que impressionam
fisicamente e tomam aparências muito diferentes para aqueles que estão
dotados da visão espiritual.
"


"Quem traz consigo pensamentos de ódio, de inveja, de ciúme, de
orgulho, de egoísmo, de animosidade, de cupidez, de falsidade,
de hipocrisia, de maledicência, de malevolência, em uma
palavra, pensamentos hauridos na fonte das más paixões
,
espalha ao seu redor eflúvios fluídicos malsãos, que reagem sobre aqueles
que o cercam. Numa assembléia, ao contrário, onde todos não
trouxessem senão sentimentos de bondade, de caridade, de
humildade, de devotamento desinteressado, de benevolência e
de amor ao próximo
, o ar estará impregnado de emanações saudáveis
no meio das quais sente-se viver mais comodamente.
"


Kardec acima, nos fala dos encarnados, mas o princípio para os
desencarnados é o mesmo.


O assunto é profundo e poderíamos explorar questões como
a mediunidade, os sonhos (que já estudamos ), a depressão,
e muitas outras. Mas ficaremos por aqui para não nos alongarmos mais.

Assim, os pensamentos ocultos dos desencarnados influenciam
não apenas na qualidade dos fluidos , como também interferem nos nossos, desde que propiciemos condições para isso, pois somos livres para escolher os pensamentos que farão
parte de nossas vidas. E é aí que encontrarmos a ordem no Universo.


Luiz Augusto

Fonte de Pesquisa:

- O livro dos espíritos
- Revista espírita nº5, maio de 1867.

Sonambulismo, Êxtase e Dupla Vista

Para o Espiritismo, o sonambulismo é mais do que um fenômeno fisiológico é uma luz projetada sobre a Psicologia. É nele que se pode estudar a alma, porque é nele que se mostra a descoberto. Ora, um dos fenômenos pelos quais ela se caracteriza é o da clarividência, independente dos órgãos comuns da visão. Os que contestam o fato se fundam em que o sonâmbulo não vê sempre, e à vontade dos experimentadores, como através dos olhos. Seria de admirar que os meios sendo diferentes, os efeitos não sejam os mesmos? Seria racional buscar efeitos semelhantes, quando não existe o instrumento? A alma tem as suas propriedades, como os olhos têm as deles; é preciso julgá-los em si mesmos, e não por analogia.

O estado designado pelo nome de sonambulismo magnético não difere do sonambulismo natural, senão pelo fato de ser provocado, enquanto o outro é espontâneo.

O êxtase é o estado pela qual a independência entre a alma e o corpo se manifesta da maneira mais sensível, e se torna, de certa forma palpável.

No sonho e no sonambulismo a alma erra pelos mundos terrestres; no êxtase, ela penetra um mundo desconhecido, o dos Espíritos etéreos com os quais entre em comunicação, sem, entretanto poder ultrapassar certos limites, que ela não poderia transpor sem romper inteiramente os laços que ligam ao corpo.

A emancipação da alma se manifesta às vezes no estado de vigília,e produz o fenômeno designado pelos nome de dupla vista, que dá aos que o possuem a faculdade de ver, ouvir e sentir alem dos limites dos nossos sentidos.

Eles percebem as coisas ausentes, por toda à parte, até onde a alma possa estender a sua ação, vêem, por assim dizer através da vida ordinária, como por uma espécie de miragem.

O sonambulismo natural e artificial, o êxtase e a dupla vista, não são mais do que variedades ou modificações de uma mesma causa. Esses fenômenos, da mesma maneira que os sonhos, pertencem à ordem natural. Eis porque existiram desde todos os tempos: a história nos mostra que eles foram conhecidos, e até explorados, desde a mais alta Antiguidade, e neles se encontra a explicação de uma infinidade de fatos que os preconceitos fizeram passar como sobrenaturais.

Fonte: Livros dos Espíritos – Capítulo VIII – Emancipação da alma


Deve-se Acordar um Sonâmbulo?

Os sonâmbulos fazem as coisas mais estranhas. Há histórias daqueles que saem de casa só com a roupa de baixo, ou que se levantam para cozinhar e depois voltam para a cama sem nem mesmo provar a comida. Um aviso sério muitas vezes acompanha esses relatos: acordar um sonâmbulo pode matá-lo! No entanto, as chances de se matar alguém com esse problema com o choque do despertar repentino são tão grandes quanto a de alguém morrer ao sonhar com a morte. Embora seja verdade que acordar um sonâmbulo, especialmente à força, pode estressá-lo, pensar que alguém poderia morrer por causa de um choque como esse é uma crença totalmente falsa, diz Michael Salemi do Centro Califórnia para Distúrbios do Sono. “Você pode assustar um sonâmbulo, e ele pode ficar muito desorientado e ter reações violentas ou confusas, mas nunca ouvi falar de nenhum caso documentado de alguém que tenha morrido ao ser despertado”. O perigo do sonambulismo está mais ligado àquilo que o sonâmbulo pode encontrar ao sair por aí em seus devaneios noturnos.

O sonambulismo faz parte de uma categoria maior de distúrbios relacionados ao sono, conhecidos como parassonias, incluindo terrores noturnos, distúrbio de comportamento do sono paradoxal, síndrome das pernas inquietas e sonambulismo. Para a maioria das pessoas, o sonambulismo consiste de atividades corriqueiras como sentar-se na cama, andar a passos lentos pela casa e vestir-se ou tirar a roupa. Uma minoria manifesta comportamentos mais complexos, como preparar refeições, fazer sexo, pular janelas e dirigir – enquanto na verdade ainda estão dormindo. Esses episódios podem durar alguns segundos ou se estender por 30 minutos ou até mais.

“O sonâmbulo está meio dormindo e meio acordado”, afirma Carlos Schenck da University of Minnesota, “O cérebro produz ondas delta e teta, o que demonstra realmente que a pessoa está em um estado de atividade noturna”. Normalmente o sonambulismo ocorre durante o terceiro e o quarto estágio do sono não-REM, os estágios mais profundos, caracterizados por um sono de ondas baixas, ou delta, e pouco sonhos ou nenhum.

Fonte: AME

Vinícius Viana