25 de mar de 2010

A PARÁBOLA DO JOIO E DO TRIGO




O Trigo


O reino dos céus é semelhante ao homem que semeia boa semente no seu campo:

Um semeador, durante todo o dia, semeou grãos de trigo no seu campo.

Ao por do sol voltou para casa, cansado, mas, feliz por haver realizado sua missão de trabalho. Semeara trigo e estava contente porque aquele trigo seria, em breve, transformado em pão, para alimento de muita gente.

Porém, esse homem tinha um inimigo que invejava suas plantações. O inimigo era mau e queria, a todo custo prejudicar as sementeiras do fazendeiro.

"Que farei?" — pensava o inimigo. E teve a idéia maldosa de semear pequenas pedras no campo de trigo; mas, poderiam ser retiradas e seu ódio não ficaria satisfeito. Resolveu, então, semear joio onde o trigo havia sido semeado. Foi esse o plano maldoso do inimigo do semeador.

O joio é uma planta muito parecida com o trigo, mas, não serve para a alimentação do homem, podendo até envenená-lo. Eis porque o inimigo do fazendeiro quis fazer a mistura do joio com o trigo no campo, visando prejudicar a colheita e causar males aos que se alimentassem do produto daquele campo.

O inimigo fez o que pensou. Durante a noite, enquanto o fazendeiro e seus trabalhadores dormiam, o homem maldoso entrou no campo e semeou joio no meio do trigal. Completada sua obra de ódio e ruindade, ele se retirou, cuidadosamente.

Algum tempo depois, quando as espigas de trigo já surgiam no campo, apareceu também o joio.

Então, os trabalhadores foram dizer ao fazendeiro o que haviam visto no campo:
— Senhor, não semeaste no campo somente boas sementes? Por que, então, está nascendo joio no trigal?

O fazendeiro já havia descoberto tudo e respondeu aos servidores:
— Foi um inimigo que fez isso...

Os trabalhadores lhe perguntaram:
— Senhor, queres que vamos, agora mesmo, arrancar o joio?

O senhor, porém, lhes respondeu com uma explicação:
- Não é possível fazer isso agora. Vocês sabem que o joio é muito parecido com o trigo.

Se vocês quiserem arrancar o joio, que foi plantado junto com o bom grão, arrancarão também o trigo, pois as raízes de ambos muitas vezes se entrelaçam. Deixem que cresçam juntos o joio e o trigo. Na época da ceifa, eu direi aos ceifeiros que colham primeiro o joio e o atem em feixes para queimá-lo; e depois juntem o trigo no meu celeiro.

 Explicação da Parábola

De acordo com os ensinamentos da Doutrina Espírita, podemos comparar esta Parábola de Jesus da seguinte forma:

O Semeador, os Divulgadores da Doutrina Espírita, Os Homens de bem, que semeia a boa semente, as mensagens espirituais, os ensinamentos de Jesus.

 Divaldo Franco 
O Semeador de Estrelas













 Léon Denis
O Sucessor natural de Kardec



O campo, é a nossa casa mental.

A boa semente, o trigo, são as idéias verdadeiras, o amor, a paz e a caridade.

O joio, são as idéias falsas, malévolas, o orgulho e a inveja.

O inimigo, são os adversários.

A ceifa é a época da colheita, da regeneração da Terra.

Os ceifeiros são os trabalhadores espirituais especializados.

As idéias boas e más estão espalhadas por toda parte, pelo mundo. As boas vêm de Deus, são as que traduzem toda Sua benevolência, justiça, amor e caridade; as más procedem do inimigo, o que pensa de modo contrário ao bem, são idéias egoístas e materialistas.

Observemos que o adversário conseguiu semear o joio, as más idéias, porque os servos dormiam, não estavam atentos, vigilante. 
 Vigiai e Orai para não cairdes quando em tentação

Entretanto, no mundo muita semente má já foi semeada e aceita. Mas, na Parábola, Jesus aconselha a não arrancar de imediato, de forma violenta, destrutiva, pois, pode também arrancar as boas sementes. Como entender!

Infelizmente, muitos espíritos encarnados, ainda não evoluídos o suficientes não sabem diferenciar as boas das más idéias, o certo do errado. Agindo com precipitação e violência, prejudicando o próximo, se tonando fanático e intolerante.

Deus, em Suas Perfeições, deixa que bons e maus convivam e propaguem suas idéias livremente. Pois, sabe que aprendemos com nossos erros, e assim, a cada reencarnação nos tornamos melhor até atingimos à perfeição.

Durante a ceifa, o momento da separação das almas obedientes das almas rebeldes. As que desejam sinceramente o caminho do Bem e da Jus­tiça serão distanciadas daquelas que, por vontade própria, preferem o caminho da maldade e da injus­tiça.


Os ceifeiros que são os trabalhadores espirituais especializado, Espíritos Superiores, presidirão a essa seleção de acordo com as instruções do Mestre Jesus.


Meus irmãos, Allan Kardec no último livro da Codificação, A Gênese, capítulo XVIII, Os Tempos são Chegados, A Nova Geração, nos diz:

Para que na Terra sejam felizes os homens, preciso é que somente a povoem Espíritos bons, encarnados e desencarnados, que somente ao bem se dediquem.

Substituí-los-ão Espíritos melhores, que farão reinem em seu seio a justiça, a paz e a fraternidade.

A Terra, no dizer dos Espíritos, não terá de transformar-se por meio de um cataclismo que aniquile de súbito uma geração. A atual desaparecerá gradualmente e a nova lhe sucederá do mesmo modo, sem que haja mudança alguma na ordem natural das coisas.

 Em cada criança que nascer, em vez de um Espírito atrasado e inclinado ao mal, que antes nela encarnaria, virá um Espírito mais adiantado e propenso ao bem.

Cabendo-lhe fundar a era do progresso moral, a nova geração se distingue por inteligência e razão geralmente precoces, juntas ao sentimento inato do bem e a crenças espiritualistas, o que constitui sinal indubitável de certo grau de adiantamento anterior. Não se comporá exclusivamente de Espíritos eminentemente superiores, mas dos que, já tendo progredido, se acham predispostos a assimilar todas as idéias progressistas e aptos a secundar o movimento de regeneração.


Convidamos a todos a meditar. Seja no mundo a semente de trigo, crescendo sob as bênçãos de Deus, para se transformar numa espiga loura e bela.  Não permita que as Forças do Mal — Espíritos das Trevas —, lancem no seu coraçãozinho o joio da rebeldia e da maldade, dos pensamentos pecaminosos e indignos. Guarde o seu coraçãozinho para o Divino Semeador. Receba somente as sementes do trigo celeste, que são os ensi­nos de Jesus e as inspirações do bem.

 Chico Xavier - O Homem de Bem


“Em nós mesmos podemos exercitar o bom ânimo e a paciência, a fé a humildade ... Não te proponhas, desse modo, atravessar a mundo, sem tentações. Elas nascem contigo, assomam de ti mesmo e alimentam-se de ti, quando não as combates, dedicadamente, qual o lavrador sempre disposto a cooperar com a terra da qual precisa extrair as boas sementes ... Entretanto, lembremo-nos do ensinamento do Mestre, vigiando e orando, para não sucumbirmos às tentações, de vez que mais vale chorar sob os aguilhões da resistência que sorrir sob os narcóticos da queda”. (Fonte Viva, Chico Xavier – Emmanuel -110)



 Bezerra de Menezes
O Allan Kardec Brasileiro

Quem se aprofunda no conhecimento da Verdade solidifica a Fé.
Não vos contenteis com apenas ler: estudai e meditai, não olvidando que a Verdade não é propriedade exclusiva de ninguém.
O estudo da Doutrina, aliado às atividades do Bem — estudo sistemático e atividades perseverantes —, robustece a crença, tornando-a inexpugnável aos ataques do cepticismo, que engendra o desalento.
Quem assimila o conhecimento não se contenta com o que lhe ensina a teoria: lança-se à aplicação do que já sabe, buscando entesourar o que somente a prática é capaz de transmitir.
Apartai o joio do trigo...
Os que estudam a Doutrina com interesse, procurando vivenciá-la, desenvolvem a capacidade de intuir, penetrando o espírito da letra e alcançando níveis superiores no que tange à interpretação Apartai o joio do trigo...
Os que estudam a Doutrina com interesse, procurando vivenciá-la, desenvolvem a capacidade de intuir, penetrando o espírito da letra e alcançando níveis superiores no que tange à interpretação da Verdade.
Estudai e bebereis diretamente na fonte a água que vos saciará toda a sede!     
                                                                                Bezerra de Menezes

Linney Nascimento


Juventude Casa dos Humildes